segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Pra sempre

O fim é eterno, não acaba nunca.
já me acostumei a determinadas despedidas. e não há temporada para elas, como ouvi esses dias,

'está a aberta a temporada de despedidas'.

despedidas com essas acontecem o tempo todo e não há guarda-chuvas para elas, sorte.

hoje, por exemplo, me despedi, para sempre, de três garotas que tranquilamente poderiam ser minhas esposas. e não me venha com ironias do destino. eu nunca mais vou vê-las, e nenhuma delas vai casar-se com um primo meu e eu serei padrinho. é pra sempre e pronto.

despedida é uma surpresa, e surpresa não tem dia e nem tendia, e por isso surpreende quando a tendência muda destino a mudança sem perceber, sem perceber.

surpreenda-me, mas não deixe de fazer uma visita se voltar.

domingo, 21 de agosto de 2011

Samba com Bethoven -



Meu coração toca surdo.