segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Beijo à flor

O beijo na flor não foi de paixão, não foi com calor para queimar as pétalas, foi um beijo de quem sabe que uma hora a flor se vai. E poderia alí ter cortado e trazido comigo para casa, mas do vaso ela não cheira como no campo, e não saio beijando vasos. Tirar uma foto também não, a questão não era registrar o momento, e sim mostrar o valor do ato.
Ela não entendeu muito, mas quando beijei não foi para mim, foi para ela. O beijo é quando a boca toca algo e com um leve sugar traz pra dentro o que ela pode emprestar de bom, é quando a parte mais preciosa do seu corpo toca qualquer outra. É pela boca que tudo o que você precisa para viver entra, e tudo o que você precisa para sobreviver sai, e é desta mesma boca que beijo a flor para que ela saiba que todas as outras que beijei com paixão e calor passaram, virão e como vieram passarão, mas ela não, dela não quis extraír o perfume, a beleza, beijei apenas para retirar o que eu ja sabia dizer, mas ainda não era completo. Até alí eu só dizia "EU TE AMO...",mas amar sem ter a quem é vago...
Eu te amo minha amiga - Completa-se a frase depois do beijo de despedida.