terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Para voar

Era como se o passarinho se calasse, não que parasse de cantar, mas o cantar não lhe era suficiente, ele queria era uma nova canção. Mas quem nasce passarinho, canta sempre a mesma coisa, e quando não aguenta mais cantar voa. E era como se ele quizesse mesmo voar, mas da janela olhava o céu, e dali voava, e ia pra longe... dentro do quarto. Mas passarinho lá tem quarto? passarinho se priva de voar? Enjoa de cantar? Não.
Ele tinha era alma de passarinho.

Se eu sonhar que consigo ter o céu, talvez de fato não tenha, mas já terei um sonho.