terça-feira, 6 de outubro de 2009

Me desculpem por não comemorar.

Lágrimas de quem ficou em 4º lugar não tem replay na retrospectiva do ano, quem dirá o 75º. O país inteiro comemorou por ser, em um futuro breve, sede das olimpíadas, e com certeza não se lembra da posição que ocupamos no ranking dos melhores países para se viver. E então vão dizer: Mas não me lembro de alguém que tenha chorado quando soube a posição do Brasil no quadro de países.
Pois então pergunte a uma mãe que perdeu o filho(a) nas mãos de um assassino, filho que estudava, era atleta, tinha boas notas e se dava bem com todo mundo. Tente confortar esta dor dizendo que em 2016 todos estaremos vendo os jogos olímpicos de perto, todos menos o filho dela.
Tente dizer a um jovem que não tem vaga na universidade que ele pode treinar muito para poder participar dos jogos mesmo que não tenha estudos, mas que se ele não ganhar, continuará tendo que ver sua família viver de um salário mínimo por mês, e permanecerá treinando com apenas 2 refeições diárias se tiver muita sorte.
E tente, por favor TENTE, convencer toda a nação de que podemos deixar de ver a pobreza, eliminá-la de cada canto do Brasil, desde que a palavra "NÃO" deixe de interferir no sentido da palavra PODEMOS.
Então, no final do ano, pensem melhor no que deve ser revisto pela televisão, se for para exibir o choro de um atleta brasileiro no pódio, que ele não esconda milhares de choros de quem não tem sobrenome.